22/03/2013 | 15h24

Descobertas que fazem a gente se sentir um grão de areia

Os primeiros passos após o Big Bang, condições propícias para vida em Marte e outros achados científicos nos lembram da imensidão do universo

Descobertas que fazem a gente se sentir um grão de areia Nasa, divulgação/
Foto: Nasa, divulgação
Calma, não queremos que você realmente se sinta insignificante, apenas achamos válido ~plantar uma sementinha~ sobre a imensidão do lugar onde vivemos, questão que passa quase que desapercebida nas nossas convenções de dia-a-dia.
Como diz um trecho do documentário Quem Somos Nós, aquele que não pensa de onde veio e nem para onde vai se restringe de uma das grandes questões da vida (suspiro).

Os primeiros passos do universo
O satélite Planck, que foi ao espaço em 2009, revelou esta semana a imagem mais precisa até hoje dos primeiros momentos de vida do Universo, quando era um jovem de apenas 380 mil pós Big Bang (a idade aproximada dele é de 13,77 bilhões de anos).
Essa imagem significa para os astrônomos uma compreensão vinte vezes mais precisa da formação do universo.
"É verdade que a imagem se assemelha um pouco a uma bola de rúgbi deformada ou a uma obra de arte moderna, mas posso assegurar que alguns cientistas teriam trocado seus filhos por esta imagem", brincou George Efstathiou, astrofísico.


Brilho ofuscante
Galáxia com uma estrela supernova (em processo de morte, que brilha mais do que bilhões de outras estrelas juntas)  foi detectada a 35 milhões de anos-luz da terra. Gente, 35 MILHÕES de anos-luz, são 10 trilhões de quilômetros por ano.
E nós aqui achando que uma viagem a aproximadamente 900km/h pro Japão é longe.


Alô alô, Marciano
O robô Curiosity diminuiu um pouco a nossa dúvida: foram encontradas no início de março substâncias propícias para a vida em Marte, por causa da existência de hidrogênio, oxigênio e carbono na terra vermelha.
Quem mais aí consegue imaginar os netos fazendo as malas pra passar as férias por lá?


136 mil anos-luz é logo ali
Depois de oito anos de estudo, cientistas conseguiram medir a distância da galáxia mais próxima da Via Láctea com uma imprecisão de apenas 2,2%: 136 mil anos-luz. Agora que a distância até a Grande Nuvem de Magalhães, como é chamada, foi calculada, vai ficar mais fácil para os cientistas estimarem a idade e o tamanho do universo de maneira mais precisa.


O UNIVERSO TEM UM PROPÓSITO?
Se o seu inglês está em dia, não deixe de assistir esse vídeo.
Entre várias outras questões, ele expõe que em 99.9999% do tempo do Universo nós, seres humanos, não estávamos aqui (uma boa reflexão para pararmos de achar que somos o centro do universo).
E questiona: se o objetivo do universo fosse realmente o de criar seres humanos, esse objetivo teria sido bastaaaante procrastinado, né?



 

DEIXE O SEU COMENTÁRIO PRA GENTE ;)

 
clicRBS
Nova busca - outros